domingo, 20 de maio de 2012

Decisão

  Decidi que sempre vou mudar quando for necessário (na  minha visão de necessidade), porque eu ficaria com a mesma mentalidade de quando eu tinha 12/13 anos?
  Decidi que vou dançar conforme o meu ritmo próprio e não conforme a música que está tocando.
  Decidi que vou viver minhas experiências, porque eu tenho que me posicionar diante das minhas situações do mesmo jeito que outras pessoas se posicionaram diante das situações delas mesmo a minha vida sendo singular a delas?
  Decidi gritar quando isso for minha vontade.
  Decidi pular quando isso for o meu desejo.
  Decidi fazer tudo do meu jeito, eu me pertenço, eu mando em mim.
  Decidi fazer tudo que é bom pra mim (na minha concepção de coisas boas).
  Decidi acreditar no que é viável para minha mente acreditar, e no que quero, claro.
  [...] Aí finalmente me senti melhor, posicionada no mundo (no meu mundo, no meu lugar por aqui).
  A minha missão no mundo é só viver, e se me falaram tanto em liberdade, ah a famosa liberdade, eu vou viver livre pura e simplesmente porque assim decidi eu.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Teatro dos vampiros


Sempre precisei de um pouco de atenção
Acho que não sei quem sou
Só sei do que não gosto.
E destes dias tão estranhos
Fica a poeira se escondendo pelos cantos
Esse é o nosso mundo:
O que é demais nunca é o bastante
E a primeira vez é sempre a última chance.
Ninguém vê onde chegamos:
Os assassinos estão livres, nós não estamos.
Vamos sair, mas não temos mais dinheiro
Os meus amigos todos estão procurando emprego
Voltamos a viver como há dez anos atrás
E a cada hora que passa
Envelhecemos dez semanas.
Vamos lá, tudo bem - eu só quero me divertir.
Esquecer, dessa noite ter um lugar legal pra ir...
Já entregamos o alvo e a artilharia
Comparamos nossas vidas
E esperamos que um dia
Nossas vidas possam se encontrar.
Quando me vi tendo de viver comigo apenas
E com o mundo
Você me veio como um sonho bom
E me assustei
Não sou perfeito
Eu não esqueço
A riqueza que nós temos
Ninguém consegue perceber
E de pensar nisso tudo, eu, homem feito
Tive medo e não consegui dormir
Vamos sair, mas não temos mais dinheiro
Os meus amigos todos estão procurando emprego
Voltamos a viver como há dez anos atrás
E a cada hora que passa
Envelhecemos dez semanas
Vamos lá, tudo bem - eu só quero me divertir.
Esquecer, dessa noite ter um lugar legal pra ir...
Já entregamos o alvo e a artilharia
Comparamos nossas vidas...
E mesmo assim não tenho pena de ninguém...



Então, essa música é perfeita pra descrever o que sinto

terça-feira, 15 de maio de 2012

Laços

  Uma das poucas coisas que me emocionam são os laços que as pessoas criam entre elas, é muito bonito ver pessoas que realmente se amam, e não é coisas do tipo ver duas pessoas numa cerimônia de casamento falando versos lindos para o outro, mas sim ver uma pessoa que é realmente grata a outra, grata a uma coisa simples ao resto do mundo, que pode ser uma frase boba, ou um abraço, mas quando isso é realizado num momento oportuno tudo muda da vida dela, e o laço a cada dia se fortalece. Sabe aquele nó cego que só se desfaz se você cortar? esse laço é quase igual, a diferença eu não sei , só sei que existe, talvez um dia eu possa descobrir. Mas o poder e o saber são tão subjetivos, difícil de explicar, o caso é que admiro laços, me fazem chorar.

Aceitação

Desenrolei de dentro do tempo a minha canção:
não tenho inveja às cigarras: também vou morrer de cantar.


Cecília Meireles

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Canto voraz

E se me desespero e saio correndo daqui?
e se decido que não é bom viver assim?
e se eu não quero contrariar ninguém tentando manter a paz?
e se eu não sei o que quero?
e se quero o que eu não sei?
afinal: o que é saber?