terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Ansiedade

  E a ansiedade estava dentro de mim, sim, estava e ainda está, e o motivo tampouco eu sei. Eu sei, é difícil de explicar, eu não estava ansiosa, mas todos os sintomas de ansiedade estavam lá, aquele aperto, batimentos cardíacos acelerados, mãos tremendo levemente de modo que os outros não percebem, e suando frio também, embrulho no estomago (as famosas borboletas). Não sei se uma simples conversa pode causar efeitos tão grandes, ou pode me fazer repensar em tudo de novo, e não sei se o tempo basta pra tudo melhorar, aí quando eu percebo a ansiedade é só que chegue logo o futuro, porque há uma esperança enorme de que tudo mude, mude pra melhor, talvez seja até mais divertido, talvez as pessoas ao meu redor mudem, talvez as coisas que me incomodem mudem ou não me afetem tanto quanto hoje em dia afeta.
Enfim, espero que eu consiga esperar. Esperar os ponteiros do relógio fazerem seus giros de 360º mais umas 17.520 vezes